Jean Paul: “Governo parece querer desmantelar o Estado brasileiro”

O senador Jean Paul Prates (PT-RN) está preocupado com o agravamento da crise política e econômica e temeroso com os destinos do Brasil, caso a agenda econômica e política do governo continue a ser perseguida pelo Palácio do Planalto. Segundo o parlamentar, o governo Bolsonaro tem uma agenda de destruição de políticas públicas que ameaça a soberania nacional. Ele aponta que o resultado disso será ruinoso para o país, caso o governo mantenha o eixo central de sua política econômica e social. “Infelizmente, o atual governo parece procurar o desmantelamento do Estado brasileiro, em vez de procurar aprimorar sua eficiência e governança”, avalia.

Jean Paul diz que país está refém dos bancos e precisa discutir investimentos

Senador afirma que país precisa discutir outras pautas, além da reforma da Previdência e defende ampliação dos investimentos nas cidades O senador Jean Paul Prates (PT-RN) afirmou, nesta quinta-feira, em discurso no plenário, que o Brasil acabou virando refém de bancos. Ele destacou que estados estão quebrados, basicamente, por má gestão, mas também por isenções …

Continue lendo Jean Paul diz que país está refém dos bancos e precisa discutir investimentos

Imagem do país está deteriorada, constata Jean Paul Prates

Jovens pesquisadores da Kellogg School of Management, de Chicago (EUA), estiveram nesta segunda-feira, 25, no gabinete do senador Jean Paul Prates (PT-RN), em Brasília. Eles o entrevistaram para falar da imagem do Brasil construída a partir da interação nas redes sociais. O parlamentar tratou do cenário de polarização política que tomou conta do país desde junho de 2013. Jean Paul avalia que houve excessos na judicialização dos debates políticos o que provocou a manipulação política e a proliferação de fake news, afetando não apenas a política, mas o desenvolvimento do país. “Houve uma  deterioração econômica e a redução de investimentos no país, provocando retrocessos políticos e instabilidades que culminaram com a eleição de Jair Bolsonaro”, destaca o senador.