Jean Paul Prates quer fortalecimento da Petrobras no RN

Em audiência nas Minas e Energia, defende mais investimentos na Refinaria Potiguar Clara Camarão

O senador Jean Paul Prates defendeu, na tarde de terça-feira, 5, o fortalecimento da Petrobras no Rio Grande do Norte e o ingresso de mais investimentos no estado. Ele esteve em reunião com o ministro de Minas e Energia, Almirante Bento Albuquerque. “Fizemos um relato da indústria petrolífera no estado e alertamos que os investimentos precisam ser mantidos e fortalecidos”, disse o parlamentar. “É preciso a integração do governo, empresas e fornecedores para revitalizar nossa indústria”.

Jean Paul destacou a importância das empresas locais de menor porte na produção em campos maduros. “O governo do estado tem a preocupação de fomentar novas empresas locais, tanto como operadoras quanto fornecedoras da indústria de petróleo”, salientou.

O parlamentar lembrou ainda que o polo industrial e logístico aeroviário precisa ser potencializado no estado. Hoje, o Rio Grande do Norte tem a Refinaria Potiguar Clara Camarão (RPCC), cuja principal atividade é a produção de querosene de aviação (QAV). “Precisamos fortalecer a competitividade da refinaria e do nosso aeroporto, para a atração de novas empresas aéreas tanto no aumento passageiros quanto na consolidação do HUB internacional de cargas”, ressaltou.

Energia
O ministro Bento Albuquerque se comprometeu em ajudar e recuperar iniciativas legislativas, bem como fornecer mais informações na área de energia. Desde que assumiu o mandato no Senado, Jean Paul tem trabalho numa proposta legislativa que permita alterar a destinação do ICMS incidente sobre a geração de energia a partir de fontes renováveis – pequenas centrais hidrelétricas, biomassa, energia eólica e energia solar. Caso a proposta vire lei, estados e municípios produtores e exportadores de energia, como o Rio Grande do Norte, serão beneficiados.

O senador defendeu também a redistribuição dos recursos da cessão onerosa para os Estados. A proposta que permite à Petrobras vender até 70% do direito de exploração do pré-sal, é defendida pela governadora Fátima Bezerra e pelo Fórum de Governadores do Nordeste.